By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Blogando e comemorando....

Parabéns a todos os profissionais cujo dia se comemora hoje!!!
03/10 – Dia das Abelhas
No dia 03 de outubro comemora-se o dia das abelhas, o inseto produtor de uma das maiores riquezas da nossa alimentação, o mel, primeira substância de sabor adocicado encontrada na Antiguidade.

As abelhas são uma comunidade organizada de insetos, que vivem nas colméias. Um grupo de abelhas é conhecido como enxame.
Nas colméias existe apenas uma rainha, o inseto que possui o aparelho reprodutor completo, sendo capaz de se reproduzir. Uma rainha tem a capacidade de por entre 2 mil e 5 mil ovos por dia.

As abelhas operárias servem apenas para a polinização das plantas e para a produção do mel, sendo incapazes de se reproduzir, pois não colocam ovos.

Os machos da espécie são conhecidos como zangões, e após o acasalamento morrem. O tempo de vida da rainha varia entre três e quatro anos, enquanto das operárias é de seis semanas.
A diferença no sexo desses animais aparece durante a fecundação. Dos ovos não fecundados nascem machos, enquanto que dos fecundados nascem fêmeas.

Logo ao nascer, algumas pequenas são escolhidas pela abelha rainha para serem alimentadas com a geléia real, essas se tornarão rainhas quando adultas. A geléia real é um tipo de leite espesso e com sabor ácido, produzido pelas operárias jovens, tendo em sua composição mais de cem tipos de substâncias que fazem bem para nossa saúde, prevenindo contra doenças.

Em sua composição estão presentes vitaminas, proteínas, minerais, carboidratos e enzimas, sendo capaz de regenerar células, retardando o envelhecimento, pois melhora a circulação sanguínea.
Todas as outras fêmeas crescem para ser operárias e cuidar das larvas, produzir cera, limpar a colméia, juntar alimento, construir o favo, não permitir a entrada de intrusos na colméia, coletar néctar, etc.

O sabor do mel e sua tonalidade variam de acordo com a planta de onde é extraída a matéria-prima para sua produção; a isso dá-se o nome de florada.
Todo mel puro se cristaliza, após um período de seis meses de extraído. Para derretê-lo novamente basta deixar exposto ao calor do sol. Caso isso não aconteça, é porque o mel não é puro.
Fontes:
03/10 – Dia Mundial do Dentista
O dia mundial do dentista é comemorado em 03 de outubro. A primeira escola dentária, para formar dentistas, surgiu em 1840, em Baltimore, nos Estados Unidos.
Os dentistas são profissionais capacitados para tratar das gengivas, da boca, dos ossos da face e dos dentes, estruturas duras que utilizamos para mastigar os alimentos. É importante visitar esses profissionais de seis em seis meses, a fim de cuidar da integridade e higiene dos dentes, fazendo limpeza e profilaxia.
Os dentes variam de acordo com os hábitos alimentares de cada espécie. Os humanos têm capacidade para rasgar, prender e triturar os alimentos, para que os mesmos passem pelo tubo digestivo em tamanhos menores, aproveitando seus nutrientes e facilitando o processo digestivo.

Os dentes humanos possuem diferentes funções. Os incisivos (dentes da frente) e os caninos (os pontudos) servem para morder os alimentos, fazendo a divisão dos mesmos; os pré-molares e os molares servem para triturar, cortar e esmagar os alimentos.

Os dentes humanos possuem diferentes funções. Os incisivos (dentes da frente) e os caninos (os pontudos) servem para morder os alimentos, fazendo a divisão dos mesmos; os pré-molares e os molares servem para triturar, cortar e esmagar os alimentos.

Por volta dos 17 anos de idade, nascem os dentes sisos, bem ao final das gengivas. Porém, esses não têm muita utilidade para o processo de mastigação e normalmente são extraídos para não causarem problemas, como entortar os outros dentes por falta de espaço. É difícil encontrar pessoas que possuam esses dentes.

A formação para o exercício dessa profissão tem duração de cinco anos, terminando o curso como clínico geral, capacitado para tratar cáries, fazer restaurações, projetar e instalar próteses, etc.. É um curso que requer muita dedicação e estudo, pois possui disciplinas como anatomia, patologia e fisiologia. Ao término da faculdade, o profissional poderá se especializar em áreas específicas, como cirurgião dentista, odontopediatria, periodontia, traumatologia (quando se machuca a boca), saúde coletiva, além de cuidar da parte estética da boca, dentre várias outras.
Antigamente os dentistas eram chamados de dentistas práticos, sem formação ou com pouco conhecimento, que não tratavam os dentes, mas faziam apenas a extração daqueles que estavam muito estragados. Normalmente eram barbeiros ou ambulantes, que trabalhavam em locais precários e sem a higiene necessária.

Hoje em dia a consciência sobre os tratamentos dentários mudou muito. Sabe-se da importância dos trabalhos preventivos, motivo pelo qual a saúde bucal deve começar ainda no recém-nascido, com o uso de cotonetes molhados em água limpa.

Os primeiros cursos de odontologia do Brasil surgiram no Rio de Janeiro e na Bahia, determinados pelo decreto nº 9.311, em 25 de outubro de 1884.
Parabéns, pela passagem de sua data comemorativa, a toda esta categoria profissional, que nos faz sorrir!!!
Fontes:
03/10 - Dia do Petróleo Brasileiro
Dia instituído em homenagem à criação da Petrobrás, em 03/10/1953 por Getúlio Vargas.
No momento em que uma nova ordenação jurídica para o setor petróleo recém se instala no País é oportuna uma reflexão sobre o petróleo, recurso natural tão disputado e de tão grande impacto na economia mundial.
Uma conjunção de fatores e a visão de um grupo de americanos empreendedores, certamente almejando ganhar dinheiro, resultaram no evento que representa o marco inicial da Exploração de Petróleo, o ciclo de busca sistemática desse bem para utilização em bases industriais e comerciais.
No Brasil, a história também começou por esta época. Exsudações de petróleo e gás eram conhecidas em várias regiões do país, na Bahia, na hoje conhecida Bacia do Recôncavo Baiano, em São Paulo, Paraná e Santa Catarina, na Bacia do Paraná, no litoral baiano de Ilhéus, Bacia de Camamu, no Estado do Maranhão, Bacias de São Luiz e Barreirinhas, e em outros locais deste vasto país-continente. Os primeiros registros históricos, documentados, foram as duas concessões outorgadas em 1858 pelo Imperador Dom Pedro II a particulares, para a pesquisa e mineração de carvão, turfa e betume.
A partir daí, a história da exploração do petróleo brasileiro evoluiu por diversos períodos e fases influenciados e sustentados nestes 140 anos por um crescimento do conhecimento geológico, pelo aumento expressivo da demanda por derivados do petróleo, pela disponibilidade de recursos financeiros, pelos choques dos preços internacionais e pelos marcos regulatórios implementados. O evento mais importante no período foi à criação da Petrobrás, com a responsabilidade de atuação exclusiva neste segmento da indústria, uma aventura de sucesso que começou em terra, migrou para o mar, avançou com sucesso para as regiões de águas profundas (com cotas batimétricas entre 400 e 2.000 metros) e, desde 1999, iniciou mais uma etapa em uma nova fronteira, as regiões de águas ultraprofundas (mais de 2.000 metros de lâmina d'água).
A promulgação, em 06/08/97, da lei 9478/97, a nova regulamentação do petróleo no Brasil, com a conseqüente implantação da Agência Nacional do Petróleo (ANP), encontram a atividade de exploração de petróleo em estágio crescente e maduro do conhecimento geológico de grande parte das diversas e complexas bacias sedimentares brasileiras. Possuindo grandes dimensões e uma área sedimentar total de 6.436.000 km2, o Brasil conta, em terra, com mais de 20 bacias proterozóicas, paleozóicas, cretácicas e terciárias, algumas ainda inexploradas, espalhando-se por 4.880.000 km2, desde o desenvolvido Sul-Sudeste até o árido Nordeste e a Amazônia (Fig.11) O restante da área sedimentar está na Plataforma Continental, onde 1.550.000 km2 se distribuem por mais de 15 bacias sedimentares cretácico-terciárias de Margem Atlântica, até a cota batimétrica de 3.000 metros, desde o extremo sul, em águas territoriais limítrofes com o Uruguai, até o extremo norte, na fronteira com a Guiana Francesa. A região de águas profundas no mar brasileiro abrange 780.000 km2 entre as cotas batimétricas de 400 e 3.000 metros.
Com uma população de cerca de 160 milhões de habitantes, o Brasil é uma das grandes economias do mundo, sendo a principal força econômica da América do Sul. Sua economia é diretamente influenciada pelos recursos energéticos encontrados em suas bacias sedimentares, principalmente aquelas da margem continental. Hoje, cerca de 38% da energia primária consumida no País é proveniente do petróleo. Uma média diária de cerca de 1.500.000 barris de petróleo (óleo + condensado + gás) são produzidos a partir das bacias sedimentares brasileiras, correspondendo a cerca de 70% das necessidades nacionais.
No período que se estendeu de 1853 até 1953, as áreas sedimentares brasileiras estiveram abertas à iniciativa privada. O início desta fase é marcado pelas duas primeiras concessões outorgadas pelo Imperador Dom Pedro II a particulares, em 1858, para a exploração de carvão, turfa e betume nos arredores do Rio Maraú, em Ilhéus, no estado da Bahia, região hoje conhecida como Bacia de Camamu, onde alguns seeps de óleo e a ocorrência de folhelho betuminoso eram conhecidos. Antes disso, sabia-se de maneira esparsa, não registrada, da existência de exsudações de óleo e gás em algumas regiões do Brasil.
Durante essa década de 30, a questão da nacionalização dos recursos do subsolo entrou na pauta das discussões indicando uma tendência que viria a ser adotada. Em 1938, toda a atividade petrolífera passou, por lei, a ser obrigatoriamente realizada por brasileiros.
Ainda nesse ano, em 29 de abril de 1938, foi criado o Conselho Nacional do Petróleo (CNP), para avaliar os pedidos de pesquisa e lavra de jazidas de petróleo. 

O decreto que instituiu o CNP também declarou de utilidade pública o abastecimento nacional de petróleo e regulou as atividades de importação, exportação, transporte, distribuição e comércio de petróleo e derivados e o funcionamento da indústria do refino. Mesmo ainda não localizadas, as jazidas passaram a ser consideradas como patrimônio da União. A criação do CNP marca o início de uma nova fase da história do petróleo no Brasil.

Em 1941, um dos poços perfurados deu origem ao campo de Candeias, o primeiro a produzir petróleo no Brasil. As descobertas prosseguiram na Bahia, enquanto o CNP estendia seus trabalhos a outros estados. A indústria nacional do petróleo dava seus primeiros passos.
O CNP melhorou a estrutura da atividade de exploração de petróleo no Brasil e, após a primeira descoberta comercial em Lobato, preferiu inicialmente concentrar-se no Recôncavo Baiano. 

A Petrobrás foi criada pela lei 2004 (03/10/1953), após longa e inflamada campanha popular, e instalada em 10/05/1954, para servir de base para a indústria do petróleo no Brasil e para exercer, em nome da União, o monopólio da exploração, produção, refino e comercialização do petróleo e seus derivados. Fez parte também de um ciclo histórico em que se visou montar as bases industriais brasileiras, pela criação de estatais nas áreas de metalurgia, siderurgia, estaleiros e petróleo. A empresa tinha como missão suprir o mercado interno com petróleo e seus derivados, através da produção nacional ou pela importação.

Em novembro do ano de 1995, em notável contraste ao que ocorrera durante a nacionalista campanha popular "O Petróleo é nosso", que culminou no Monopólio do Petróleo pela União e na criação da Petrobrás, após intensa campanha do Governo Federal aliado aos meios empresariais e com o maciço apoio da mídia, o Congresso Nacional aprovou a Emenda Constitucional nº 9, com o propósito governamental de atrair investimentos estrangeiros através da abertura do Setor Petróleo Brasileiro. Como meio para atingir tal objetivo, foi aprovada a quebra do Monopólio que a Petrobrás exercia em nome da União e, ao mesmo tempo foi possibilitado à Companhia estabelecer parcerias empresariais com investidores privados nacionais ou multinacionais, para a exploração, desenvolvimento da produção e produção de petróleo.
 
Da análise da história da exploração de petróleo no Brasil e os resultados alcançados pode-se concluir que há ainda inúmeros desafios para os atores envolvidos nesta importante atividade econômica. Para a ANP, o grande desafio será o de promover e incentivar a ocupação com atividades de exploração em todas as bacias sedimentares brasileiras. A atividade, que envolve grande risco e substantiva exposição financeira, é fortemente impactada pela oferta e demanda internacional de óleo. Com a recente abertura à exploração pela maioria dos países onde existe potencial petrolífero, a competição para atração de investimentos de risco é extremamente elevada. O enorme conhecimento adquirido principalmente nas ultimas quatro décadas, pelo esforço da Petrobrás, dos contratos de risco e das comunidades acadêmico-científicas do país, vai contribuir para que o órgão regulador promova a adequada gestão de exploração de petróleo no Brasil.
As perspectivas futuras sinalizam, sem dúvida, para um cenário exploratório onde as parcerias e as futuras licitações deverão tornar o ambiente exploratório mais ágil e competitivo, com trocas de experiência, conhecimento e tecnologia entre as empresas participantes, processo este que, se adequadamente gerenciado, trará um efetivo ganho para o País sob a perspectiva do fornecimento energético.

A descoberta do pré-sal ainda instiga várias indagações que somente serão respondidas na medida em que esse novo campo de exploração for devidamente conhecido. Até lá, espera-se que o governo brasileiro tenha condições de traçar as políticas que definam a exploração dessa nova fonte de energia. Enquanto isso, são várias as especulações sobre como a exploração da camada pré-sal poderá modificar a economia e a sociedade brasileira.
Fontes:
National petroleum Agency
Revista Brasileira de Geofísica
E lembrem-se, as mudanças acontecem “De dentro pra fora!”































Nenhum comentário: